administração

Administração Geral: Conceito e funções

Conhecendo a administração geral


Conhecendo a Administração Geral
Série especial conhecendo à administração

Uma decisão que nossa equipe tomou quando decidimos começar com o Portal, foi fazer uma série de posts explicando cada área da administração e suas particularidades. Essa série poderá auxiliar aqueles que pensam em realizar o curso, os procuram se reciclar, ou aqueles que possuem interesse na área. A cada semana falaremos um pouco sobre administração de empresas e suas principais ramificações, tais como administração de recursos humanos, marketing, produção, materiais, logística, sistemas e financeira. Iremos abordar os principais conceitos e metodologias, o mercado de trabalho e sobre o profissional de cada área. Neste post estaremos iniciando o assunto com a administração geral.


Como todos sabem, devido a amplitude do curso de administração, existem diversos conceitos sobre o assunto espalhados pelos livros da área. Em geral, apesar de ser um curso bastante subestimado pelos que não o conhecem direito, a administração se trata de uma área essencial para toda e qualquer empresa existente, desde as mais simples (como um quiosque na praia), até a mais complexa como a Google, por exemplo. Considerando que toda empresa necessita de um administrador, é possível ter uma noção da quantidade de vagas disponíveis no mercado para os que trabalham na área ou nos demais setores. Por isso, o bacharelado de administração é um dos mais procurados pelos estudantes.


Antecedentes históricos da administração geral


Antecedentes da administração geral
A história da administração em si é recente. Ao longo dos anos, essa ciência e suas áreas se desenvolveram numa lentidão impressionante. Foi somente a partir do século XX, devido as mudanças que estavam acontecendo na sociedade e no mundo, que ocorreu um crescimento exponencial na administração, alcançando uma celeridade incrível. Diversos autores consideram seis fatores de influência na administração, como impulsionadores desse movimento. Dentre eles, nós temos:

a) Filósofos: desde os tempos antigos a administração recebe influência da filosofia. Autores como Sócrates, filósofo grego que expôs seu ponto de vista sobre a administração se tratar de uma habilidade pessoal separada do conhecimento técnico. Platão, discípulo de Sócrates, que em sua obra A República, trouxe a forma democrática de governo e de administração dos negócios públicos. Em período mais próximo, tivemos René Descartes, filósofo, físico e matemático francês. Ele foi responsável por elaborar o famoso método cartesiano, que teve uma grande influência na administração científica e na teoria clássica da administração.

b) Igreja Católica: durante diversos séculos, as normas administrativas e os princípios de organização pública foram sendo transferidos de instituições do Estado, para as instituições da Igreja Católica. Essa "migração" ocorreu devido a unidade de propósitos, onde em muitos momentos é mais facilmente encontrada em organizações eclesiásticas, do que na política e nos partidos. Estes últimos, em diversas situações eram movidos por objetivos contraditórios, que fugiam dos princípios da administração geral.

c) Organização Militar: a organização militar é tida como responsável pelo aparecimento das teorias da administração. Por exemplo, a organização linear tem suas origens na organização militar dos exércitos da época medieval. Já o princípio da unidade de comando é o principal núcleo das organizações militares. Com as guerras de maior alcance (continentais), o comando das operações exigiam novos princípios e um controle centralizado, ou seja, teve início a centralização do comando e a descentralização das operações.

d) Revolução Industrial: considerada a maior transformação da história da humanidade. A Revolução Industrial teve início na Inglaterra e se divide em duas partes: a revolução do carvão e do ferro e a revolução do aço e da eletricidade. Ela surgiu como uma bola de neve que teve seu ápice a partir do século XIX. A Revolução Industrial foi responsável por mecanizar a indústria, atuando como sua força matriz. Também ajudou a desenvolver o sistema fabril, o meio de transporte e os métodos de comunicação. Ela substituiu o ferro pelo aço, o vapor pela eletricidade, especializou o trabalhador e criou novas formas de organizações.

e) Economistas Liberais: foi a partir do século XVII que criou-se uma infinidade de teorias econômicas centradas na explicação dos fenômenos empresariais. A livre concorrência é o principal objeto do liberalismo econômico. Autores como Adam Smith, considerado fundador da economia clássica e cujo conceito principal é a competição, já visualizava o princípio da especialização dos operários. Grandes nomes, como Karl Marx e Engel, apresentaram o socialismo científico, onde analisaram os regimes econômicos e sociais do capitalismo.

f) Pioneiros e Empreendedores: o mundo estava mudando e as empresas também. Em 1820, nos Estados Unidos, o maior negócio da época eram as estradas de ferro. Foi a partir delas que as áreas de investimentos e seguros se tornaram populares. As ferrovias concederam o fenômeno que ficou conhecido como urbanização, que por sua vez criou necessidades de alimentação, habitação, eletricidade, entre outras. Essas necessidades trouxeram um rápido crescimento das empresas voltadas para o consumo direto. A Revolução Industrial abriu portas para a Era Industrial que dominou o mundo até o final do século XX. Atualmente vivemos o que é considerado a era da informação.

Principais funções da administração geral


Funções da Administração Geral
Funções da Administração Geral

O papel do administrador moderno não é apenas gerenciar uma determinada área ou setor da empresa (seja ela pública ou privada.). Esse profissional precisa entender grande parte do funcionamento da organização, compreendendo a funcionalidade de cada setor, assim como das operações da companhia. Basicamente, ele deve possuir e desenvolver sua habilidade conceitual sobre o negócio. Para a administração geral, conceitualmente falando, a função do administrador compreende um processo de quatro etapas principais, que são:

1. Planejamento: é etapa referente à formulação dos objetivos e os meios para alcançá-los. É o processo contínuo de percepção e análise em que se desenvolve as tomadas de decisões, ou seja, consiste em definir objetivos para traçar metas, identificando as oportunidades, interpretando as informações e analisando os recursos disponíveis na organização. Trata-se de uma atividade exercida pela administração geral da empresa;

2. Organização: é o processo de designar tarefas, alocar os recursos e coordenar atividades. De maneira mais simples, refere-se à distribuição e adequação dos recursos da organização. Organizar é o mesmo que preparar os processos a fim de obter os resultados planejados. Ela pode compreender várias fases administrativas, como por exemplo, desde a elaboração dos níveis hierárquicos até a definição das estruturas organizacionais e seus setores;

3. Direção: conduzir as pessoas de acordo com o plano estratégico, visando a realização dos objetivos e metas estabelecidos pela empresa. Esta é a função da tomada de decisões, da liderança e da comunicação com os subordinados, é o processo administrativo que conduz e coordena o pessoal na execução das tarefas anteriormente planejadas. A direção também se trata de uma atividade atribuída à administração geral da empresa;

4. Controle: é a comparação do desempenho atual com o que foi planejado, estabelecendo as correções necessárias no decorrer do processo. O controle restringe e regula a execução da tarefa, ou seja, verifica à execução e avalia os resultados, pelos quais compara ambos com os padrões pré estabelecidos. É a função que corrige os desvios, adota o planejamento como medida-padrão e aponta as falhas e correções que precisam ser feitas.

Apesar de serem etapas de um processo, todas precisam ser realizadas de forma integrada. Essa é a visão sistêmica que o administrador deve ter. Prever acontecimentos e situações que possam surgir, para reagir de forma rápida e adequada às variações que aparecerem. Essas são atividades básicas que o administrador deve exercer no seu dia-a-dia, sempre prezando pela manutenção da organização no seu devido eixo. É devido às funções acima citadas que nós temos a administração geral como "a tarefa que possibilita alcançar os objetivos e metas desejadas, com menor dificuldade e maior rapidez, ou seja, com maior eficiência e eficácia.

O mercado de trabalho para administradores


O administrador e a administração geralPara falarmos sobre o profissional da área, é necessário conceituarmos o significado de administrar, já que muitos apesar de se identificarem com a administração não conhecem o seu real significado. Existe uma definição bem comum sobre o que se trata administrar uma empresa, onde nós temos: "administração geral, é o conjunto de atividades dirigidas à utilização eficiente e eficaz dos recursos, no sentido de alcançar um ou mais objetivos e metas organizacionais." (Silva, 2001)

Com isso, é possível perceber que a administração é muito mais do que apenas "gerir uma empresa", ela compreende diversos fatores, como também, a capacidade de utilização dos recursos humanos, financeiros e materiais de forma que atinja os objetivos do negócio e da companhia como um todo. Em geral, o administrador é o elemento fundamental para o sucesso das organização. Ele possui o papel de interagir com todas as áreas e setores, a fim de assegurar a máxima eficiência e eficácia através de suas três habilidades - a técnica, humana e a conceitual.

Muitos autores definem a administração como o ato de trabalhar com e através das pessoas, visando realizar tanto os objetivos da organização como dos seus colaboradores. Por isso, é importante o administrador ficar atento a pelo menos três pontos essenciais em relação à sua profissão, que são: dar uma maior ênfase ao elemento humano, focar as atenções nos resultados e não necessariamente nas atividades e contribuir para que os objetivos e ambições da organização sejam realizados de maneira integrada aos objetivos pessoais dos membros de sua equipe. Na administração geral o processo de planejar, controlar, organizar e dirigir possuem como principal foco os colaboradores e os objetivos corporativos.

Conclusão - Administração Geral


A administração geral mostra o porquê de desenvolver e realizar atividades, apresentando a diferença entre o administrador de empresas e um simples executor de atividades. Nós administradores, precisamos saber analisar e resolver as situações existentes no ambiente de trabalho. Desenvolver planos, organogramas, mapas estratégicos, a fim de ponderar sobre as questões inerentes à companhia. Administradores são os chamados agentes da mudança, ou seja, aqueles que adquirem a habilidade necessária para analisar e diagnosticar situações. É preciso ressaltar que a administração não é uma ciência mecânica que depende unicamente de hábitos físicos, mas sim uma ciência onde existem inúmeras variáveis.

Para concluir, podemos discutir mais dois pontos relacionados ao texto. Primeiro, devido a administração ser a graduação mais ofertada do país (administração vem sustentando essa posição já há alguns anos), a vida de quem faz administração de empresas provavelmente não será das mais fáceis. Mesmo com o número absurdo de graduantes (acima de 300 mil por ano), o administrador recém formado não irá concorrer pelas vagas da área apenas com seus colegas de cursos, mas também, em praticamente todas as oportunidades, com concluintes de outras graduações que acabam ocupando espaços que, na teoria, deveriam ser preenchidos unicamente por bacharéis em administração.

No segundo e último ponto, nós queremos dizer que apesar de todos os pesares, o estudante de Administração Geral não deve temer o seu futuro, pelo menos não aqueles que mantiverem uma busca constante por maiores conhecimentos e complementos à sua graduação. Devido a amplitude que o curso oferece, o graduando em administração pode se especializar nas mais diversas áreas existentes, e com isso aumentar de forma qualitativa o seu "portfólio" de conhecimentos, tornando-se assim mais valioso para o mercado de trabalho. Por fim, além disso, o estudante de administração geral pode tentar abrir o próprio negócio, atuando como um empreendedor, ou ainda trabalhar em empresas de consultorias, dentre outras possibilidades. Bom, é isso ai pessoal.

Até a próxima!

-----

Veja também:

-Administração de Marketing;
-Administração de Empresas;
-Administração de Recursos Humanos;
-Administração da Produção;
-Administração de Materiais;
-Administração Financeira e Orçamentária;
-Administração de Sistemas de Informação.

Autor: Marcelo Bastos
Referências Bibliográficas:
MAXIMIANO, Amaru. Teoria Geral da Administração. Atlas, 2012
SILVA, Reinaldo. Teorias da administração. Pioneira. Thomsom Learning, 2001. 
CHIAVENATO, Idalberto. Introdução a Teoria Geral da Administração. Elsevier, 2004.

-----


Nós também estamos no Twitter e no Google+!

portal administração feed
COLUNAS
RECOMENDAMOS
REDES SOCIAIS
-------------------------------------------------
Receba Nossas Atualizações
PARCEIROS