administração

Por que a administração não é valorizada?


Por que o curso de administração não é valorizado?


Estudantes de administração

É comum, durante o período da graduação, nos depararmos com algumas questões que nos fazem questionar se a escolha do curso de administração foi a mais indicada ou não. Além da incerteza que pode surgir ao longo do curso, também enfrentamos questionamentos de amigos e familiares do tipo: por que você fez administração? Não teria sido melhor fazer engenharia? O mercado não está saturado demais? Entre outras perguntas incovenientes. Provavelmente você já deve ter escutado alguns desses questionamentos (ou a todos eles) mais de uma vez ao longo do curso. Sempre que algum grupo está discutindo sobre profissões, é costumeiro escutarmos alguém falando mal de administração.

As pessoas que afirmam que a administração é um curso de quem não sabe o que quer, com certeza não sabem que a administração é a base de uma sociedade. Diariamente, nas mais rotineiras das atividades, nós utilizamos dessa ciência. E se você olhar atentamente, verá que em quase todas as práticas e atividades de seu dia a dia existe um pouco de administração. Esses profissionais controlam, organizam e planejam os recursos de uma empresa, criando soluções para os diversos tipos de problemas e essas atribuições tornaram o administrador desejado tanto pelas empresas, quanto pelos estudantes que anseiam em se tornarem um.

Nos dias atuais, por mais incrível que pareça, o Brasil é o terceiro país dentre os que possuem mais cursos de administração no mundo, ficando atrás apenas dos Estados Unidos e da Índia. Segundo uma pesquisa deste ano, o curso de administração possui 18% dos formandos anuais, se tornando a profissão mais frequente (e comum) do país. Há dez anos, tínhamos em média 200.000 administradores, e apenas 5% das empresas contavam com um profissional de administração para gerenciá-las. Hoje por outro lado, nós temos mais de 120 mil novos administradores ingressando no mercado de trabalho todo ano, repito, todo ano!

Apesar do número ser volumoso, os profissionais de administração continuam sendo muito importantes para a sociedade e para as empresas, as quais, infelizmente, não dão o devido valor para a profissão e seus profissionais. As faltas de oportunidades de qualidade e o status supervalorizado de outros cursos, fazem com que o bacharelado em administração perca, e muito, seu valor. Vale ressaltar que o próprio estudante de administração desvaloriza seu curso frente à outros que possuem maior status ou maiores chances de um emprego melhor. Este comportamento apenas contribui ainda mais para a perda de valor do curso.

Um dia desses, perdi meu tempo tentando dissuadir o pensamento de um colega engenheiro, o qual afirmava que um engenheiro de produção possui maior capacidade analítica, de gestão, liderança e da própria "ciência da administração" em si, do que um administrador de fato. Ainda segundo ele, um engenheiro de produção possui maiores recursos cognitivos e por isso é muito mais vantajoso para o mercado de trabalho. O grande problema dessa linha de pensamento é que a mesma não é compartilhada apenas pelo meu colega de ego inflado, mas também por grande parte mercado e dos empregadores brasileiros.

Infelizmente, nós administradores também somos culpados por esse tipo de pensamento, bem como as instituições de ensino superior, nosso conselho federal e os atuais (e futuros) estudantes de administração. Ao longo dos anos, deixamos de lutar por melhores práticas administrativas, por mudanças nos cursos da faculdade, ou até mesmo pela mudança na cultura do curso no Brasil, a qual nos conduz para sermos apenas empregados, ao invés de empregadores. Não lutamos para ter um conselho mais forte e atuante, muito menos pela exigência de um exame pós formatura, o que ajudaria a valorizar a profissão (exemplo - OAB).

Recentemente, saiu em um grande portal de administração, uma entrevista com um conhecido professor da faculdade de economia, administração e contabilidade da Universidade de São Paulo (USP), onde o mesmo afirmava que a base para qualquer pessoa trabalhar numa empresa se chamava "economia" e que nós brasileiros não formávamos bons administradores, já que esses não possuíam uma boa base de "conhecimentos econômicos". Até certo ponto, ele está correto, pois a economia é pedra fundamental de um negócio, bem como o marketing, gestão de pessoas, e a própria administração também o são.

Outro questão importante é que, com o passar dos anos, centenas de novos cursos de administração foram surgindo no Brasil, os quais não possuíam nenhum padrão em comum, ou critério para o ingresso dos alunos. Muitos desses, modificaram suas grades curriculares, retirando as poucas matérias sobre empreendedorismo que existiam e focando cada vez mais no trivial. Tais fatos aceleraram a saturação do mercado em relação ao curso, pois em poucos anos passamos de algumas centenas de instituições para quase duas mil faculdades e universidades ministrando o curso de administração. Com isso, nós temos quase 1 milhão de novos estudantes todos os anos, o que claramente não é suportado pelo mercado.

Se as instituições focassem em melhores grades para o curso, ao invés de apenas pensarem em dinheiro, talvez as coisas estivessem diferentes, não de forma milagrosa, mas com um cenário um pouco melhor. Quanto ao empreendedorismo, não falo deste relacionado apenas à criação de um negócio (o que já seria imensamente positivo para a economia do país), mas também sobre o desenvolvimento de um espírito criativo e pesquisador no aluno, um administrador que busca novos caminhos e soluções, desenvolvendo e melhorando seu lado comercial, que pense fora da caixa e procure sempre por novos negócios e oportunidades (seja dentro da empresa ou fora dela).

Apesar dos problemas expostos ao longo do texto, não podemos desanimar, pois saiba que a principal mudança depende apenas de você. No entanto, os profissionais e estudantes da área acabam esquecendo que, assim como em qualquer outro curso, o mais importante é procurar sempre ser diferenciado, desejado pelo mercado e persistente o bastante para conseguir o que se almeja (saiba que você sempre pode mais!). O curso de administração também possui boas oportunidades e vagas no mercado, porém, para conseguir as melhores você deve continuar estudando e se especializando cada vez mais. Lembre-se de uma coisa, aquele que não luta pelo futuro que quer, deve apenas aceitar o futuro que vier.

Até a próxima pessoal!

-----

Nós também estamos no Twitter e no Google+!

portal administração feed
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
COLUNAS
RECOMENDAMOS
REDES SOCIAIS
-------------------------------------------------
Receba Nossas Atualizações
PARCEIROS